A Associação dos Servidores e Servidoras da Defensoria Pública do Estado de São Paulo (ASDPESP) publicou uma nota de repúdio à fala do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Em entrevista à Globo News, na semana passada, Leite defendeu que o Congresso Nacional encaminhe medidas que permitam a redução dos vencimentos dos servidores brasileiros.

Leia a nota na ASDPESP:

Nota de repúdio à fala do governador do Rio Grande do Sul

A Associação dos Servidores e Servidoras da Defensoria Pública do Estado de São Paulo – ASDPESP – repudia a fala do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) que, em entrevista à Globonews afirmou que o Congresso Nacional deveria encaminhar medidas que permitam a redução dos vencimentos dos servidores públicos brasileiros. Mais uma vez um governante alinhado à política neoliberal que defende uma austeridade fiscal nefasta desrespeitando direitos de trabalhadores e trabalhadoras, penalizando as classes mais baixas da sociedade em benefício dos poucos que detêm o poder político e econômico do país.

Eleito com a promessa de que colocaria os salários do funcionalismo estadual em dia, hoje ignora que estes(as) trabalhadores(as) vivem uma realidade muito difícil, com a remuneração atrasada e parcelada há seis anos, situação que se agravou diante da difícil conjuntura enfrentada no momento.

O governador se coloca como exemplo ao afirmar que cortou parte do próprio salário, mas esquece que a grande parcela da categoria (57%) não recebe sequer R$ 3 mil por mês, bem distante dos R$ 25 mil dos seus vencimentos.

É lamentável que governantes se aproveitem do momento de crise econômica em meio a uma pandemia para defender e promover a perseguição à classe trabalhadora, especialmente os(as) servidores(as) públicos(as) cujo trabalho e esforço mantém a Educação, Saúde, Sistema de Justiça e Segurança Pública deste país em funcionamento, mesmo que a duras penas e na maioria das vezes, sem as necessárias condições de trabalho.

Já passa da hora da nossa sociedade perceber que país desenvolvido é aquele que valoriza seus trabalhadores e investe para fornecer serviço público de qualidade à população. Perseguir e restringir direitos dos(as) trabalhadores(as) só faz aumentar a crise, fato cada vez mais evidente diante do momento em que vivemos, no qual o serviço público tem sido essencial.