O grupo de Assistentes Sociais e Psicólogas/os dos Centros de Atendimento Multidisciplinar da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, divulgou nota contrária a decisão da Coordenadoria Geral de Administração da Instituição de rescindir aproximadamente 600 contratos de estágio. Os contratos são principalmente com estudantes de nível médio e de ensino superior das áreas de Administração, Psicologia e Serviço Social.

Para os profissionais da DPESP a decisão “desrespeita as/os servidoras/es supervisoras/es de campo das/os estagiárias/os em questão, que sequer foram consultadas/os ou comunicadas/os previamente, mas sobretudo representa uma violência institucional com todas/os estudantes que sumariamente foram desligados/as abruptamente desta Defensoria Pública por e-mail na referida data e sem o devido respeito e cuidado”. A nota esclarece que que muitos estagiários souberam da decisão por e-mail, antes mesmo de serem comunicados por seus supervisores.

No documento, os servidores reiteram a importância do trabalho e contribuição queos estagiários agregam ao atendimento da Defensoria Pública e sustentam a  necessidade de revisão da decisão da administração, “a fim de dirimir os impactos individuais, emocionais, acadêmicos, técnicos, institucionais e sociais aqui elencados”. Eles também solicitam a criação de uma comissão mista, com participação de servidores supervisores e estagiários para estudar alternativas ao contingenciamento de gastos da Instituição que não impliquem em rescisão de contratos de estágio. 

Nota-Pública_Estagiárixs-1