Realizado nesta terça-feira, 8 de outubro, Ato Estadual Unificado dos trabalhadores do Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública. Foram mais de 1.500 trabalhadoras e trabalhadores que se manifestaram contra as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) que questionam as reposições de 8,69%, propostas pelo então Governador Germano Rigotto (MDB) e contra a ADI 5562, impetrada pelo Governador José Ivo Sartori (MDB).

Entre as ADIs citadas acima, apenas a última (5562) terá efeito nos vencimentos da categoria, caso julgada procedente. A ação, ajuizada por Sartori, em 2016, pede que o STF declare inconstitucional as leis que reajustaram os vencimentos em 8,13%, sob o fundamento de se tratar de Revisão Geral Anual e não Reajuste Setorial. As trabalhadoras e os trabalhadores de diversas partes do Estado e de Porto Alegre concentraram-se na frente da Sede do Ministério Público Estadual, na Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto e, posteriormente prosseguiram em caminhada ao Tribunal de Justiça. Ali, após várias falas, uma comissão com representantes de entidades representativas dos servidores entregaram um ofício, com destaque para valorização profissional e também para abrir um canal de negociação com os trabalhadores. O Coordenador-Geral do SINDPERS, Thomas Vieira, também integrou este grupo.

Durante as falas, Vieira exaltou a luta dos colegas do Poder Judiciário na defesa dos seus direitos e conquistas e conclamou a ficarem firmes “Por mais duro que seja”, em uma menção ao Presidente do Tribunal de Justiça. Destacou que os servidores da Defensoria Pública, sofrem com sobrecarga de trabalho e com os baixos salários, se comparados com as demais categorias do sistema de Justiça do RS. Durante o ato em frente ao Tribunal, houve apoio e solidariedade dos motoristas mesmo com os bloqueios no trânsito.

Em seguida a Borges de Medeiros teve uma de suas pistas liberadas pela EPTC para a manifestação dos trabalhadores. A mobilização seguiu em caminhada para a Praça da Matriz, com falas em frente ao Palácio Justiça, ao Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. Na sede do governo gaúcho, uma comissão de de seis representantes dos sindicatos, foi recebida pelo Secretário Adjunto da Casa Civil, Bruno Pinto de Freitas. O objetivo dessa Comissão foi de chamar atenção para que o Governador Eduardo Leite (PSDB) também esclareça aos representantes das entidades de servidores do sistema de justiça gaúcho o teor das medidas apresentadas.