Na última sessão plenária da Assembleia Legislativa do RS, realizada na terça-feira (18/12), os deputados da base governista demonstraram mais uma vez, nas palavras do Coordenador-Geral do Sindpers, Thomas Vieira, “a grande falta de sensibilidade que já vinha sendo evidenciada durante todos esses quatro anos de governo”. A esperança de vitória, ainda em 2018, foi sepultada tarde da noite, quando as bases dos Governos Sartori (MDB) e Eduardo Leite (PSDB) articularam a retirada de quórum para inviabilizar a votações dos projetos que previam a reposição salarial das categorias das Servidoras e Servidores do Judiciário, Ministério Público, Tribunal de Contas, Defensoria Pública etc.

Mesmo com o pedido das galerias de inversão de pauta, visto que as matérias eram as últimas na Ordem do Dia da Sessão, apenas 19 deputados registraram presença durante o pedido de verificação de quórum solicitada pelo líder do governo, deputado Gabriel Souza (MDB).

No entanto, a prorrogação das alíquotas majoradas do ICMS por mais dois anos, o PL 190/2018, foi aprovada por 40 votos a 10, gerando aos cofres públicos a média de R$ 3 bilhões ao ano.

Para o coordenador do Sindpers, Thomas Vieira, que acompanhou toda a sessão plenária, o dia foi de tristeza e decepção. “Foi péssimo o que aconteceu ontem, temos que estar atentos, entrincheirados e dispostos a batalhar pelo o que é nosso. Porém, não podemos desanimar, porque os projetos seguem na casa, voltam para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e nós estaremos lá, de prontidão, até a aprovação dos mesmos”, desabafou.