Dos 35 partidos registrados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 10 ainda não decidiram como se posicionar nas eleições que definirão o governador do estado do Rio Grande do Sul para os próximos quatro anos. Em meio ao período de convenções partidárias, as negociações entre siglas se intensificam, e os postulantes ao maior cargo político do Estado brigam pelo apoio das últimas siglas restantes.

Às 10h de hoje, o PRB deve declarar apoio ou ao MDB ou ao PSDB. Presidente estadual do partido, o deputado federal Carlos Gomes esteve reunido com o governador José Ivo Sartori (MDB) por mais de uma hora na quinta-feira passada e manteve contato também com Eduardo Leite (PSDB). A sigla deverá se coligar com um dos dois partidos.

O PR é outro que pode declarar hoje qual será a sigla escolhida. No mais tardar, amanhã, o partido deverá fazer um anúncio interno e comunicar a decisão à imprensa, afirmou o deputado federal Giovani Cherini, presidente estadual do PR.

Na quarta ou na quinta-feira desta semana, um bloco de quatro partidos deve anunciar a quem dará suporte na corrida. Segundo o presidente do PTC no Rio Grande do Sul, José Wellington, seu partido, em conjunto com o PSC, o PMN e o PRP, deve decidir um entre quatro candidatos. “Com o Jairo Jorge (PDT) está difícil. Temos possibilidades com o Eduardo Leite, o Luis Carlos Heinze (PP) e o Sartori”, afirmou Wellington.

A Rede aguarda a decisão de Sartori sobre sua possível tentativa de reeleição. O atual governador ainda não afirmou com todas as letras se disputará o Piratini em outubro, mas a Rede espera um possível apoio de Sartori à candidatura de Marina Silva (Rede) à presidência do País.

O PRTB está no momento sem direção estadual e não participará das eleições gaúchas. A reportagem não conseguiu contato com as representações estaduais de PCO, DC e Patriota.

Fonte: Diego Nuñez/Jornal do Comércio