Um acidente do trabalho numa obra em Caxias do Sul deixou mais um trabalhador morto. No dia 8 já haviam morrido outros dois, também em acidente do trabalho no Estado, em Bom Princípio e Santa Maria. Antonio Paim de Sá, 53 anos, morreu no início da tarde no Hospital, em Caxias do Sul. 

Ele foi atingido por chapas de concreto de uma obra, quando um guincho colocava as estruturas sobre vigas. No local, está sendo construída uma vidraçaria.

O auxiliar do guincho que colocava chapas de concreto em cima de vigas, José Odair Marques de Oliveira, 33, ficou ferido e também foi levado ao hospital, mas não corre risco de morrer.

Os bombeiros constataram preliminarmente que a sustentação da laje estava comprometida e não seguia as exigências obrigatórias de segurança. O local foi interditado e um laudo técnico deve ser feito para identificar o motivo da queda da laje.

Dados alarmantes

Estes acidentes somam a uma realidade alarmante, que envolve os números relativos a acidentes do trabalho no Brasil. Em 42 anos, desde que se instituiu o anuário estatístico do INSS, foram registrados 38.181.856 milhões de acidentes e doenças do trabalho. Destes, 558.261 mil, foram de trabalhadores afastados por incapacidade permanente e 155.761 trabalhadores perderam suas vidas nos locais de trabalho.

Só nos últimos três anos ocorreram 2.135.342 milhões de acidentes resultando em 47.355 mil trabalhadores incapacitados e 8.422 mil óbitos. É uma morte a cada hora de jornada de trabalho, e 337 acidentes e doenças reconhecidos a cada hora na jornada diária.

Entre os motivos apontados por diversos estudos para esta realidade estão o conflito capital X trabalho que se expressa em fatores como produção, produtividade e lucro a qualquer custo; fragilidades das ações de vigilância do Estado; ausência de organização sindical nos locais de trabalho, entre outros.

Assessoria de Comunicação

C/Informações da Zero Hora/Correio do Povo/G1 e Rádio Planalto

11/01/2014 23:53:29